as pedraS . . .



perante a grandeza de tudo somos nada
e boquiabertos bebemos estrelas
e solfejamos o silêncio em devota adoração
e cutucamos o intangível como que na infância
e tudo é apenas tato.

porque carregamos um vazio
tudo nasce de nós
e somos nada.

a tangibilidade de tudo é o parentesco
entre todas as coisas,
e ela não tem corpo,
como o nada.

a presença de Deus é uma ausência absoluta